Dicas importantes para contratar um bom pintor

Está na hora de renovar a pintura da casa, mas você não sabe como contratar um bom pintor? Confira as nossas dicas!

Com a proximidade do final do ano, muitas pessoas começam a pensar em renovar o visual de casa. E, assim como em vários outros tipos de serviços, como eletricista ou pedreiro, o pintor precisa ser capacitado e ter experiência para que o trabalho seja perfeito e você fique satisfeito com o resultado final. Confira então algumas dicas para contratar um bom pintor e evitar problemas na sua reforma:

Pesquise mais de uma opção de pintor

Para encontrar o pintor ideal, é indicado pesquisar várias opções. Não leve em conta somente o valor mais barato ou prazo mais rápido. Tente obter, pelo menos, três orçamentos.

Uma boa dica para quem não tem indicação de nenhum pintor é visitar uma loja especializada em tinta. Geralmente, essas lojas têm um cadastro de bons profissionais para indicar aos clientes.

Como contratar um bom pintor?

Cuidado com o pintor “faz tudo”

Fique atento ao chamado “faz tudo”, aquele profissional que diz que entende de tudo um pouco. Ele é eletricista, encanador, pintor, montador, enfim, faz todo tipo de trabalho que você precisar e, em um primeiro momento, parece ser a pessoa ideal para pintar a parede da sua casa.

Mas, para evitar contratempos, o melhor é contratar um profissional especializado para esse serviço. Caso contrário, o barato pode sair caro.

Conheça o trabalho do pintor

Para contratar um bom pintor, também é importante conhecer o trabalho do profissional para conferir a qualidade do serviço dele. É bom conversar com as pessoas que já o contrataram e perguntar se ficaram satisfeitas com a pintura. Fazendo isso, você ficará mais seguro na hora de contratar.

Observe se o pintor tem experiência

Outro aspecto muito importante a ser observado é a experiência do pintor. Antes de contratar o profissional, procure saber há quanto tempo ele trabalha com pintura, se ele faz cursos de capacitação, pois isso é muito importante e vai se refletir no resultado do serviço.

Um pintor experiente sabe indicar qual o melhor tipo de tinta a ser usado em cada ambiente da casa e também tem conhecimento sobre pinturas especiais, como epóxi e texturas, que exigem técnicas diferenciadas.

Normas para trabalho em altura

Se a pintura envolve trabalho em altura, como em fachadas, por exemplo, além dos equipamentos de segurança necessários, é preciso considerar a NR 35, a norma regulamentadora que trata da exposição do trabalhador ao risco de queda em altura.

Segundo a NR 35, considera-se trabalho em altura toda atividade executada acima de dois metros do nível inferior, ou seja, da superfície de referência, onde haja risco de queda.

Conforme as regras do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o pintor contratado precisa garantir que está habilitado para realizar aquele determinado serviço, por meio da apresentação de certificações e laudos técnicos dos equipamentos.

Se o serviço for executado por alguém que não esteja qualificado, o contratante pode ser responsabilizado em um possível acidente de trabalho, o que pode gerar altos custos indenizatórios.

Faça um orçamento detalhado

Fazer um orçamento detalhado do serviço a ser realizado, incluindo tempo de trabalho, valor da mão de obra e cálculo da quantidade de material também é essencial para evitar contratempos. E vale reforçar: ao escolher um profissional, não leve em consideração apenas com o preço.

Faça um contrato

Assim que fechar negócio, faça um contrato entre você e o pintor descrevendo todo o serviço a ser realizado, incluindo prazo para conclusão, valor e forma de pagamento. Ambos devem assinar esse documento, que é importante tanto para o contratante quanto para o contratado.

Já viu essas dicas?